Imprensa

28-Dez-2020 15:53 - Atualizado em 28/12/2020 16:07
SOLIDARIEDADE

Vereadora Iara Bernardi é ofendida pelo médico Dr. João Edward Soranz Filho e aciona a Polícia Civil

Entidades publicaram um MANIFESTO DE REPÚDIO em solidariedade à vereadora

imprensa, DIVULGAÇÃO
.DIVULGAÇÃO

No último dia 21, a vereadora Iara Bernardi (PT-Sorocaba) tomou conhecimento de que o médico Dr. João Edward Soranz Filho a desqualificou, utilizando termo chulo e incompatível com a dignidade humana, em uma conversa no grupo de Whatsapp chamado “Família CHS Sem Exceção”.

imprensa, DIVULGAÇÃO
Print da fala do médico Dr. Soranz no grupo de WhatsappDIVULGAÇÃO

A vereadora usou as redes sociais para denunciar esse crime de injúria, “um claro caso de violência psicológica feita por homens que se julgam superiores e intocáveis pela lei”, escreveu Iara. E, no dia 23 de dezembro, protocolou uma representação para instauração de inquérito criminal na Polícia Civil. A injúria é crime previsto no artigo 140 do Código Penal Brasileiro.

Iara Bernardi recebeu a solidariedade de diversas pessoas e de entidades sociais que não mais toleram esse tipo de comportamento.

Confira a íntegra do MANIFESTO DE REPÚDIO assinado por dezenas de entidades e a NOTA DE REPÚDIO assinada pela Macrorregião Sorocaba do PT:

MANIFESTO DE REPÚDIO

Estamos vendo e vivendo um tempo de desrespeito e hostilidade com as pessoas que não comungam das mesmas ideias, sobretudo com as mulheres. O sexismo e o machismo têm se apresentado com forte intensidade e com a sensação de que está acima de quaisquer punições.

Vimos recentemente episódios envolvendo mulheres parlamentares sendo assediadas, ameaçadas e desqualificadas por segmentos impermeáveis aos valores igualitários e de respeito à diversidade.

Agora vimos, num ato repugnante e odioso, um cidadão sorocabano, de formação acadêmica qualificada, mas sem nenhum apreço à boa educação, achincalhando uma mulher, com histórico irrepreensível de vida pública. A vereadora Iara Bernardi, representante da população sorocabana, de família tradicional da cidade, pelo fato de, no exercício de seu mandato, divergir das ideias do cidadão, médico João Edward Soranz Filho, teve sua imagem agredida e injuriada.

Usando de uma ferramenta de comunicação (grupo de Whatsapp), o mencionado senhor atacou de forma torpe a vereadora Iara Bernardi, com termo grosseiro e indecente, expondo sua simpatia pelo machismo e desprezo pela condição de mulher. Os achincalhes proferidos pelo médico foram tão grosseiros que causou indignação e repúdio, inclusive no grupo de Whatsapp, onde despejou tamanha baixeza.

Diante do ocorrido, manifestamos nossa solidariedade à vereadora Iara Bernardi, e externamos nosso repúdio a qualquer ato de discriminação e preconceito, seja qual for, que venha a agredir, desqualificar ou injuriar uma pessoa.

Exigimos das autoridades competentes uma ação efetiva, no sentido de coibir deplorável comportamento, para que não se naturalize como um ato qualquer.

Por último, conclamamos a todas as pessoas que se indignam com atos que atentam contra a pessoa humana, pelo simples fato de pensar diferente, a reprovar tal comportamento.

Sorocaba tem respeito pelas pessoas.

 

ASSINAM O MANIFESTO

 

AFUSE – Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação

APEOESP - Subsede Sorocaba e Região

ATS - Associação de Transgênero de Sorocaba

Banco de Alimentos de Sorocaba

CCTN - Centro Cultural de Tradições Nordestinas de Sorocaba e Região

CEADEC – Centro de Estudos e Apoio ao Desenvolvimento, Emprego e Cidadania Sorocaba

CMDM - Conselho Municipal dos Direitos da Mulher

Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro – Sorocaba

Coletivo Feminista Rosa Lilás - Sorocaba

COMDHUC - Comitê de Direitos Humanos e Cidadania de Sorocaba e Região

Frente Feminina da Trupé de Teatro

Gepaso – Grupo de Educação à Prevenção a Aids Sorocaba

INATRAM - Instituto Nacional da Transparência Municipal de Itapetininga

Levante Popular da Juventude

Movimento LGBTQIA+ de Votorantim

PLENU – Instituto Plena Cidadania

Promotoras Legais Populares de Peruíbe

Promotoras Legais Populares de Jundiaí e Região

Promotoras Legais Populares da Bacia do Juquery

Promotoras Legais Populares de Atibaia

Promotoras Legais Populares Botucatu

Promotoras Legais Populares de Jaú

Promotoras Legais Populares Guarujá

Promotoras Legais Populares Distrito Capuava/Santo André

Promotoras Legais Populares de Sorocaba

Promotoras Legais Populares de Mairinque

Promotoras Legais Populares de Tatuí

Promotoras Legais Populares de Santo André

Promotoras Legais Populares de São Bernardo do Campo

Promotoras Legais Populares de São Paulo

Promotoras Legais Populares de Itaquaquecetuba

Promotoras Legais Populares de Mauá

Sindicato das Trabalhadoras e Trabalhadores do Vestuário de Sorocaba e Região

Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT SP

Setorial de Mulheres do PT

SINDSAÚDE SP -Sub sede Sorocaba

SMETAL – Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo – Regional Sorocaba

Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Sorocaba

Sindicato dos Químicos de Sorocaba e Região

Sindirefeições de Sorocaba - Sindicato dos Trabalhadores em Refeições de Sorocaba e Região

União de Mulheres São Paulo

 

NOTA DE REPÚDIO MACRO PT de SOROCABA

Recentemente nossa vereadora da cidade de Sorocaba Iara Bernardi sofreu agressões do médico Dr. João Edward Soranz Filho por meio de mensagens nas redes sociais. Nessas mensagens usou termos machistas e misóginos como ofensa.

Nós do PT sabemos que após o golpe contra a presidenta Dilma, a ascensão da classe dominante mais retrógada da República Brasileira aos três poderes, o assassinato da vereadora Mariele Franco, a eleição baseada em fake news de Jair Bolsonaro, multiplicaram-se as manifestações de machismo, misoginia e feminicídio.

O que aconteceu com a companheira Iara Bernardi, bem como a deputada estadual Isa Penna, reflete a infeliz conjuntura nacional, em que o homem branco se acha inalcançável pelas leis, uma vez que essas ideias norteiam também setores do judiciário.

Sendo assim, não podemos mais tolerar este tipo de crime contra as mulheres. As autoridades competentes têm que punir esse tipo de crime para que isso não se repita.

Fabiana Caramez
Deixe seu Recado